sexta-feira, 31 de março de 2006

Uma poesia...

Jú Mancin
Ouvindo Lost in the supermarket, The Clash

Uma poesia de Beto Renzo, nosso amigo poeta!

Não

Eu não resmungo mais esperando que você possa me ouvir.
Eu não me permito ser à todo custo aquilo que eu não sou…
E tudo mais que espreme o olhar quando se quer a verdade.

Eu não espero que um dia alguém aqui possa realmente me ver.
Eu não insisto em bater onde não quero entrar…
E tanto jeito adequado eu deixo pra você…

E tudo mais dos teus amáveis absurdos não cabem no que vim aqui apanhar!

“Aperte essa lágrima, pois no rodízio hoje é o dia de sorrir.” – Não, isso eu não vou fazer!
“Estique esses lábios, pois é preciso sempre sorrir na sala de estar” – Não, isso eu não vou fazer!

Eu não me preocupo em me vender pra aquilo que não quero ganhar.
Eu não me cuido em ser moderninho pra esquecer como inventar…
E tudo mais que seja a equação da beleza estúpida do cartaz.

Eu não acho efêmero o bem querer que à outra pessoa se dá.
Eu não participo da torrente suja que solicita o calar da alma.
E tanto mais que você queira me obrigar…

E tudo mais das infindáveis cópias da tua mesma solidão jamais quero carregar.

“Aperte essa lágrima, pois no rodízio hoje é o dia de sorrir.” – Não, isso eu não vou fazer!
“Estique esses lábios, pois é preciso sempre sorrir na sala de estar” – Não, isso eu não vou fazer!

De meu pai, o olhar que se pode confiar.
De minha mãe, a força em ser pequeno e muito maior!
De meu irmão, o lado que me completa…

De Orlando… muito além das histórias… o não pra qualquer falta de amor!

Um comentário:

Jú & Lú disse...

Aaaaai amigo talentoso esse! Tenho tanto orgulho!!!!
rs.... Parabéns, Beto. É linda, para variar!
Beijo, Lu

Site Meter